Lipocavitação x Lipoaspiração

Você quer eliminar gordura localizada e não sabe qual o melhor procedimento? Tanto a Lipocavitação, quanto a Lipoaspiração são tratamentos com esse objetivo, porém são feitos de forma completamente diferente.

Vamos falar não só de estética, mas também de saúde. Portanto, queremos que você tenha todas as informações necessárias para fazer a escolha certa do procedimento que está pensando em realizar.

Ambos são indicados para pessoas com problemas de gordura localizada. Não são procedimentos emagrecedores, portanto não são indicados para quem sofre de obesidade ou outros problemas ligados à gordura geral.

Vamos iniciar pela técnica mais conhecida, que é a lipoaspiração. É um procedimento invasivo que necessita de internação, anestesia e cuidados no pós-operatório, bem como uma série de exames preparatórios, pois se trata de um processo cirúrgico com certo risco, já que é aspirado o excesso de gordura acumulada no tecido subcutâneo do paciente.

O procedimento pode durar algumas horas, dependendo das áreas submetidas.

O processo de recuperação implica em algumas dores, inchaços e edemas, que impedem de realizar atividades diárias por alguns dias.  Pode levar até 2 meses para que os resultados realmente sejam percebidos.

Já o procedimento de Lipocavitação, Ultracavitação ou Cavitação também conhecida como Lipo sem cortes, não é um procedimento invasivo, não tem internação, anestesia, riscos, cicatrizes e pós-operatório doloroso. O procedimento é realizado em aproximadamente 10 sessões, podendo eliminar até 2cm na primeira sessão de tratamento.

A sessão dura em cerca de 20 minutos por área tratada. A evolução acontece a cada sessão, mas os melhores resultados aparecem a partir da segunda. São sugeridos protocolos de até 10 sessões, com períodos mínimos de duas vezes por mês.

Trata-se de um aparelho de ultrassom cavitacional que penetra nas células promovendo a quebra gordura. Ele destrói as placas de acumulo de gorduras em alta intensidade (de 20 a 70 quilohertz). Essa gordura é enviada para o fígado e se transforma em reserva de energia rápida para consumo.

A reserva de energia precisa ser gasta. O organismo tende a armazenar. Por isso, a sugestão para potencializar o sucesso do tratamento, é seguir o protocolo sem ingerir carboidrato 4 horas antes e 4 horas após o procedimento, além de praticar algum exercício físico dentro desse período para que a gordura seja direcionada com mais eficácia para a corrente sanguínea.

Um ponto importante, é combinar esse procedimento com outro chamado Corrente Russa. A função desta é estimular o músculo a trabalhar para gastar essa energia. Outra opção é a Manta Térmica, usada para aquecer o local tratado e o organismo gastará energia para resfriar.

É contraindicado para gestantes, pessoas com colesterol alto, epilepsia, problemas renais, diabéticos, hipertensos, cardíacos, mulheres que usam DIU e usuários de placas, próteses e parafusos metálicos no corpo.

Outro ponto extremamente importante é o lugar onde fará o processo. Ele deve ser feito em clinicas de estéticas especializadas e com boas indicações tanto de resultados como na idoneidade.

E já que existem riscos ao se submeter a uma intervenção cirúrgica, sugerimos que opte por uma Lipoaspiração, quando técnicas não invasivas como a Lipocavitação, não trouxerem os resultados esperados. O que dificilmente acontecerá, se o paciente se comprometer a prática de exercícios e alimentação balanceada.